Os 13 tipos de Network Effects

Você já deve ter estudado sobre Efeito de Rede. É uma característica bastante comum em várias startups e empresas de grande porte em todo o mundo. Uma estratégia usada para defender mercado e também para amplificar o poder de growth das empresas.

Ter Efeito de Rede significa que a empresa usou os princípios de rede para criar um produto como uma plataforma, e não apenas como uma ponta solta no mercado. Com o Efeito de Rede, valor (valor de uso para o usuário, valor de mercado, valor intrínseco) do seu produto é amplificado conforme aumentamos usuários e outras pontas importantes na a rede de serviços como fornecedores e também outros serviços.

Por que o Network Effect é importante

Ter um produto que promove o efeito de rede é importante por causa da defesa que se cria de marca e também de escala, onde a rede faz com que o serviço ganhe muito rápido espaço no mercado.

Outro ponto importante é a criação de valor, não apenas para o usuário, mas para o mercado e também outros serviços. Conforme usuários ou serviços se acoplam à sua rede, sua plataforma entrega mais valor ou potencializa a entrega de valor desses parceiros para o mercado.

Existe uma teoria chamada de Lei de Metcalfe, onde ele afirma que o valor de uma rede é proporcional ao quadrado de número de usuários. Se você quiser saber um pouco mais sobre isso, leia Network Effect, Lei de Metcalfe e produtos digitais.

Este estudo é bem interessante que tenta validar a Lei de Metcalfe no Facebook e na Tencent. Eles aplicam a fórmula do Metcalfe e tem um resultado interessante.

Como funciona o Network Effect

O Efeito de Rede é criado quando você junta duas ou mais pontas em seu serviço. Essa rede começa a ganhar valor quando a segunda ponta é adiciona e esse valor aumenta a cada usuário que é adquirido. O exemplo clássico é o do fax. Mas, como estamos em 2019 e o fax já morreu faz tempo, vou usar o ICQ! Não há valor algum no ICQ se apenas você estiver no serviço, porque você não terá ninguém pra se comunicar e mandar mensagens. Muito monótono. Mas o valor do serviço surge a partir do momento que a segunda pessoa se cadastra no serviço, agora existem duas pontas que podem se comunicar. E dessa forma, quanto mais pessoas se conectam, mais o valor é aumentado.

O valor do WhatsApp é muito grande aqui no Brasil exatamente por causa da quantidade de pessoas que usam. Praticamente qualquer um tem WhatsApp. Lembrando das defesas que o Network Effect cria: vai ser muito difícil um concorrente tirar o WhatsApp de páreo, porque ele tem escala. Praticamente todo mundo está nele e vai ser difícil alguém migrar de comunicador se os coleguinhas não irem junto (vide a dificuldade de encontrar alguém que usa Telegram).

Os formatos de redes

Existem uma série de tipos de formatos que causam um efeito de rede. E todas elas envolvem diferentes pontas, com possibilidades de conexão. Quanto mais possibilidades de conexão, mais forte a rede se torna.

A mais comum é uma rede formada com de duas pontas, onde unimos dois lados com interesses em comum, por exemplo, unindo vendedores e compradores. Mas a empresa NfX (uma VC que só investe em empresas tem em sua estratégia o Efeito de Rede), diz que existem 13 formatos de Network Effect.

Os 13 formatos de rede são divididos em 5 categorias:

  1. Direta;
  2. Dois lados;
  3. Dados;
  4. Tecnologica;
  5. Social;

Os 13 formatos são:

  1. Física. São Efeitos de Rede formados por pontos físicos ou conexões físicas (internet com fibra, exemplo). Exemplo: linhas telefônicas;
  2. Protocolo. Quando um padrão de protocolo de comunicação ou transferência surge e todas as pontas da rede usam esse protocolo. Exemplo: Bitcoin, Ethernet, BitTorrent;
  3. Utilidade Pessoal. Quando uma rede é usada para se comunicar e interagir na vida pessoal, logo, se você não fizer parte dessa rede, você perderá oportunidades de conversar com família, amigos, próximos. Ex: WhatsApp, Telegram, ICQ;
  4. Pessoal. Quando a sua reputação e identidade está atrelada ao serviço/produto. Se pessoas que você conhece na vida real, estão usando um produto para guardar suas informações pessoas ou até reputação, você se sente impelido a usar também. Ex: Facebook, LinkedIn;
  5. Market Network. Combina de identidade e aspectos de comunicação pessoal com foco em transações, trazendo profissionais ou serviços do offline para online. Ex: GetNinjas, HoneyBook, AngelList;
  6. Marketplace. Dois lados que se complementam: vendedores e compradores, escritores e leitores. É o efeito de rede básico de dois lados. Ex: Medium, Google, Mercado Livre, Magazine Luiza, Amazon;
  7. Plataforma de Tecnologia. Muito parecido com o Marketplace, por se tratar de uma rede de dois lados, mas aqui é mais pro lado de tecnologia. Quando há uma plataforma que liga os usuários com os desenvolvedores, gerando valor nessa rede. Ex: Nintendo, Android, Windows, iOS;
  8. Mercados assintóticos. Quão rápido o valor da demanda aumenta conforme o lado do fornecedor aumenta e quão forte o efeito de rede fica quando a massa crítica chega no máximo. Ex: Uber, 99;
  9. Dados. Quando o produto aumenta o valor da rede conforme o volume de dados aumenta e os usuários se beneficiam disso. Bancos poderiam usar isso como estratégia. Ex: IMDB, Google, Waze, Yelp!;
  10. Performance Tecnologia. Quando a performance do produto está diretamente relacionada com o número de usuários. Mais dispositivos, mais usuários, melhor a rede de tecnologia trabalha. Ex: Bittorrent;
  11. Linguagem. Em qualquer lugar comunicação com outras pessoas, o idioma é um intermediário importante. Quanto mais as pessoas usam esse serviço, mais comum ela fica no jargão de comunicação entre as pessoas. Ex: Google;
  12. Crenças. Aqui, não há muitas dúvidas: quanto mais pessoas acreditam numa coisa, mais a rede ganha valor. O dinheiro é assim. Ele não teria valor nenhum se as pessoas perdessem a crença de que ele pode comprar coisas. Ex: Moedas ou religiões;
  13. Bandwagon. Quando uma pessoa se sente pressionada para entrar na rede, porque todos estão lá, ou tem, ou usam, mas ela não. Ex: Slack, Apple;

diagrama que a empresa NfX preparou para ilustrar os diferentes tipos de rede

Concluindo

Identificar os tipos de rede, faz com que você saiba em qual dessas categorias seu produto se encaixa e a partir daí consegue direcionar melhores estratégias de defesa e aumento de escala.

Além disso, também vai ajudar a entender o comportamento dos usuários no seu produto. O mesmo usuário tem comportamentos diferentes dependendo da rede que está usando no momento. Meu comportamento de uso no Linkedin é totalmente diferente do que no Twitter, tanto no uso de produto quanto comportamento pessoal, palavras usadas, fotos postadas, conteúdo criado.

Comportamento do usuário é um assunto que podemos abordar nos próximos artigos. É bastante vasto e pouco falado no mercado. Está muito ligado com o objetivo/necessidade que o usuário quer alcançar com o seu produto.