diegoeis.com

November 25, 2020

Review do livro - Platform Scale do Sangeet Paul Choudary

Capa do livro Platform Scale do Sangeet Paul Choudary

O termo Produtos Digitais é um termo que está perdendo muito do seu sentido pra mim, pois remete a uma visão muito estreita sobre algo que é muito maior. Esse termo remete apenas ao pedaço de software que construímos no dia a dia. Tentamos expandir nossa visão dizendo que estamos perto dos usuários, mas essa “desculpa” também não me agrada mais, pois geralmente não temos tempo de falar com os usuários com a frequência, nem com o tempo, nem com a qualidade necessária para conseguirmos extrair informações valiosas. Além disso, o usuário conhece menos do seu produto do que você mesmo. O usuário tem apenas a visão dele, você tem a visão de negócio, do mercado e de todos os outros usuários, incluindo a visão de dados. Contudo, ainda que você expanda sua visão para tentar ter uma aproximação maior com os usuários, você ainda terá uma visão estreita do seu produto.

Entendendo o dinamisco e o novo modelo de negócio

É importante sabermos quais e como os mecanismos que regem os mercados funcionam, além dos sistemas dinâmicos que movimentam e influenciam a sua empresa. Você só consegue fazer isso tendo uma visão de como o seu produto faz parte de uma rede da rede de troca de valor. Essa rede é formada pelo seu produto, possibilitando a interação entre outros atores, que são empresas e pessoas (usuários). Essa deveria ser sua única responsabilidade de verdade: criar uma plataforma que facilite a interação entre as pontas da plataforma, orquestrando a geração e o consumo de valor que isso proporciona.

No livro Platform Scale, o Sangeet Paul Choudary explica, de forma muito detalhada, como o modelo de negócio baseado em plataforma funciona, além de como esse modelo impulsiona de maneira exponencial das empresas de tecnologia das últimas décadas. O Sangeet é o porta-voz do termo economia de plataforma, que remete a forma com que as empresas de tecnologia se estruturam e se organizam de forma a potencializar a entrega e facilitação de valor e a troca simbiótica de serviços entre empresas e usuários.

O livro poderia ter 100 páginas a menos. Em muitos momentos o autor é redundante nas suas citações e em diversos momentos me deu a impressão de já ter lido alguns trechos. Contudo, o livro é recheado de quotes importantes e estimulantes para quem gosta desse assunto.

Eu sou apaixonado por esse tema. Me ajudou muito a entender como conectar como mirar a entrega de valor parando usuário ao mesmo tempo que impacta o negócio. Product Managers, geralmente, tem uma visão muito micro, pensando apenas no usuário ou pensando apenas no negócio. Em nenhum desses casos se faz uma conexão de indicadores estratégicos com crescimento de negócio e entrega de valor, além de fortalecimento das conexões entre os atores que fazem possível a plataforma existir.

Empresas não entregam valor sozinhas

Empresas não entregam mais sozinhas valor para o mercado e para as pessoas. Pouquíssimas empresas conseguem realmente controlar o fluxo todo de entrega e geração de valor. Posso citar a Apple, o Google e talvez a Microsoft, mas todas elas dependem de atores externos para ajudar, em algum momento, a entregar valor: Apple com devs na App Store. Google com os sites e dados dos usuários. Microsoft com as fabricantes e distribuidores de hardware. Embora todas elas conseguem ter um controle grande do pipe, nenhuma consegue (ou quer) controlar tudo.

As empresas menos robustas como Spotify, Airbnb, Facebook, Twitter e etc vivem basicamente dessa troca de valor entre os atores da plataforma. Elas perdem a essência se o caso fosse outro. O Airbnb seria uma rede de hotéis se ela mudasse seu modelo de plataforma para o modelo tradicional. Não faz sentido. Plataforma não é mais uma opção para empresas de produtos e serviços digitais

Concluindo

Recomendo fortemente esse livro para pessoas de estratégia, negócios e para quem faz gestão de produtos digitais. Ele é meio repetitivo, mas pontua os principais pontos desse assunto importantíssimo no dia de hoje. A minha pergunta é: qual será o próximo modelo? Será uma evolução ou um totalmente novo?

Algumas citações que separei:

  • The democratization of connectivity and the rise of data-driven decision-making systems are leading to the emergence of a new range of business models.
  • We are no longer in the business of building software. We are increasingly moving into the business of enabling efficient social and business interactions, mediated by software.
  • The platform business model is powered by a new set of factors that determine value creation and competitive advantage.
  • Platforms allow participants to co-create and exchange value with each other.
  • Ecosystems are the key enablers of value creation on platforms and a new source of competitive advantage.
  • Platforms enable value creation and exchange by matching the most relevant resources from producers in the ecosystem with the consumers on the platform that need those resources.
  • Business scale powered by the ability to coordinate internal labor and resources toward efficient value creation and toward delivery of the created value to an aggregated consumer base.
  • Network effects are observed across platforms. The presence of more buyers attracts more sellers on Etsy and eBay. The posting of more videos on YouTube leads to more views and viewer feedback, which in turn leads to the creation of more videos.
  • Platforms that fail to match value to users with high relevance will fail to engage users.

Compre esse livro na Amazon.

Livro Gestão Moderna de Produtos Serviços Digitais.

O Produto Digital como um meio de entregar valor para o usuário e para o negócio.

Ver mais