diegoeis.com

March 16, 2021

Avaliando PMs em 5 pontos importantes

Como avaliar Product Managers é uma pergunta que líderes de produtos sempre fazem. É complicado, pois os PMs não executam o tático, embora ajudem a direcioná-lo. Eles não definem a estratégia, embora deem insumos para entendermos riscos de viabilidade técnica, desejo e valor do usuário, tendências de mercado. O trabalho de gestão de produtos muitas vezes é efêmero e diversas vezes não contabilizado.  Por exemplo, como você contabiliza um “acordo” feito entre áreas? Como você contabiliza uma priorização bem feita? 

Contudo, gestores de Produtos podem ser avaliados pelo seu comportamento que catalisa e potencializa as entregas da empresa. Embora PMs não estejam diretamente ligados à entrega de execução, esse personagem é importante para amplificar os resultados alcançados pelo produto por meio das escolhas feitas antes da execução, bem como seu acompanhamento e direcionamento durante a execução.

Podemos avaliar PMs em 4 pontos essenciais que envolvem seu trabalho:

1 - Objetivos e Resultados

A definição de objetivos que tenham conexão direta com a estratégia da empresa de médio e longo prazo, além da capacidade de interligar os objetivos de produtos com os objetivos de outros times é importante para que a área de produtos e o produto tenha sempre uma cooperação com o conjunto, não trabalhando de forma independente. 

Além disso, como você mede o resultado desses objetivos é importante. Geralmente, os PMs buscam indicadores e métricas de produtos que lhe dizem se o produto está saudável, mas poucas vezes os indicadores de outras áreas que o produto impacta são monitorados. Como o produto está prejudicando ou ajudando o marketing? Como está melhorando ou ajudando o comercial? E dados? O olhar externo é importante e essencial, mas a cooperação interna é tão importante quanto.

Uma vez que esse padrão é estabelecido, fica difícil não conseguir comparar a atuação do PM com o resto da empresa.

2 - Gestão

PMs fazem Gestão. Muita gente confunde erroneamente que PMs são gerentes só por causa do “management” no nome. Errado. Eles são gestores, o que é diferente dos gerentes. Os PMs têm a obrigação de fazerem uma boa gestão do seu tempo, uma boa gestão de prioridades, gestão de expectativas e gestão de riscos. 

Uma boa gestão de tempo é basicamente priorizar quais reuniões e quais assuntos (batalhas) o time de produto poderá se envolver para atuar. Entender o timing de outros times, faz com que os PMs consigam usar melhor o tempo do time, além de ser uma dica de quais assuntos estão mais quentes na empresa.

Em caso de GPMs ou Head de Produtos, a coisa complica um pouco mas nem tanto. Existem lugares que o GPM/Head cuida do produto e das pessoas. Outros lugares só produto ou só pessoas. Fazer gestão de pessoas dá tanto trabalho quanto fazer gestão de produtos, contudo, a gestão de pessoas visa mais manter um ambiente estável, para que os PMs executem um bom trabalho de produto e isso seja reverberado nos indicadores. Esse assunto é bastante complexo, merece outro artigo.

3 - Inovação

Inovar não é fazer de maneira diferente algo antigo. Inovar é buscar passos intermediários para a disrupção. Às vezes, os PMs resolvem ignorar o futuro e a visão de longo prazo da empresa em detrimento às urgências do dia a dia. Métodos de Design Thinking, Future View, SCAMPER podem ajudar no processo. Mas pensar em possíveis cenários futuros de como o mercado poderá estar e como a empresa poderia se posicionar nesse cenário, bem como os concorrentes e clientes, é uma forma de conseguir encontrar soluções inovadoras para o serviço.

PMs fora da curva pautam seu curto prazo antecipando suas visões de médio e longo prazo. Se você está tentando sobreviver às urgências do dia a dia, verifique se o problema é interno, ou seja, ligados com o time de produtos ou se vocês estão absorvendo problemas como efeito de áreas externas. A falta de programação e planejamento de outras áreas afetam diretamente a construção do seu produto e consequentemente ao desempenho e performance de entrega de resultados.

Valeu um novo artigo sobre equilíbrio de curto vs longo, urgência vs planejamento. 

4 - Cooperação

Os PMs precisam se comunicar a fim de conseguir apoio de outras áreas e de pessoas chave para alcançar o que precisam. A grande regra de que PMs são diplomatas é real. É necessário dizer não sem fechar portas. É necessário escolher uma área em detrimento de outra. É necessário pedir favores. Faça aliados, faça barganhas, crie alianças. Mas não seja um prisioneiro do tempo ou das prioridades de outros. Isso se aplica também na blindagem do time. Não é raro ter times que sofrem com intervenções diretas de outras áreas. PMs conseguem melhorar bastante esse cenário.

A cooperação é o que vai fazer a diferença entre um desempenho medíocre daquele fora da curva. O produto é um meio, não o fim, por isso, entenda quais outros meios pelo qual a empresa entrega valor podem ser potencializados com a sua ajuda. 

Avaliar a capacidade de “negociação” é importante para entender se o time de produto se tornará uma gangue ou um time.

5 - Conhecimento do negócio

Embora PMs não respondam pela estratégia do negócio, é importante conhecer o negócio qua empresa atua. Conhecer o negócio significa entender alguns pontos específicos:

  • Mercado e setor industrial: como funciona, quais os mecanismos de regulação, criação de riqueza, movimentos de sazonais, impactos externos;
  • Players atuantes: novos entrantes, concorrentes, fornecedores… como funciona a competição entre os concorrentes. Qual a cultura e perfil de liderança. Como outros players contratam? Por onde os players começaram e como funciona o produto deles, quais as fraquezas, oportunidades que eles usam para se fortalecer;
  • Economics: como a empresa fecha a conta, qual a fórmula de receita e custo, quais as possíveis novas linhas de receita, quando perde-se dinheiro ou quando deixa-se de ganhar;
  • Curto, médio e longo prazo: qual a visão de longo prazo dos fundadores e board? Qual a missão/causa justa que eles aspiram alcançar? Qual o momento atual da empresa? E do produto? E do mercado? E o momento dos consumidores? Como podemos trazer essa visão de futuro para o presente?
  • Processos: quais os processos que regem a empresa e o mercado? Como a empresa se comunica? Como os times de áreas diferentes interagem e quais os diplomatas dessas áreas? Quais os gargalos e como podemos usá-los como oportunidade?
  • Cultura: O que a empresa tolera? O que a empresa prioriza? O que ela busca em novos funcionários? O que na cultura está em acordo ou desacordo com a visão de longo prazo? Quais as ferramentas usadas pela empresa e pela liderança para fortalecer e manter a cultura?

Existem vários outros pontos que podemos abordar para conhecer melhor o negócio. Apenas se coloque numa posição ativa e não reativa sobre esse assunto. PMs geralmente acham que conhecem bem o negócio, mas eles conhecem bem o que tange o produto, não o que direciona o negócio em si. Preste atenção aos movimentos públicos da empresa. Quais são os compromissos que a empresa acorda com os usuários, impressa, outras empresas e governo. Esses pontos públicos são de conhecimento do CEO e é uma boa maneira de conseguir entender qual o propósito, receios e oportunidades o CEO e o board estão mirando.

Conclusão

De forma nenhuma esses pontos são imutáveis. Pelo contrário. O time e os líderes de produtos podem criar diversos outros contrapontos que entrarão em sinergia com os propósitos e valores da empresa e do grupo. Encontre quais as características que entregam mais valor para a sua empresa e crie maneiras de avaliá-las em novos candidatos.

Livro Gestão Moderna de Produtos Serviços Digitais.

O Produto Digital como um meio de entregar valor para o usuário e para o negócio.

Ver mais