Meu ano em livros — 2019

Veja também o que eu li nos anos anteriores:


Esse foi meu primeiro ano como pai. Em Janeiro, já sabendo que meu filho iria nascer em Maio, decidi colocar uma meta muito, mas muito baixa de 10 livros. Achei que não teria tempo de ler tanto quanto antes e por isso resolvi jogar uma meta que talvez eu cumpriria com a loucura de cuidar de um recém nascido, rotina maluca e tudo mais. Mas acho que superestimei o trabalho que ia dar. No final das contas, fechei meu ano com 33 livros lidos.

Logo nos primeiros meses eu adiantei bastante a leitura, com medo do improvável… Aí depois que ele nasceu, consegui me adaptar com a rotina de colocar ele pra dormir, ouvindo os livros em TTS como sempre fiz, o que adiantou bastante o fluxo.

Foram 6,634 páginas (contra 5.862 no ano passado) de 33 livros (contra 28 ano passado). Segue o gráfico de quantidade de páginas lidas durante os últimos anos:

Quantidade de páginas lidas nos últimos anos Quantidade de livros lidos nos últimos anos

Ao contrário do ano passado, não houve um predileto. Eu gostei de vários livros de formas diferentes, os 3 que mais gostei foram:

O livro mais curto foi o Ship It da Product School, com 41 páginas. O livro mais longo foi o Duna, do Frank Herbert com 544 páginas.

Quantidade de livros em anos

Eu leio livros de uma forma mista, eu uso muito o Kindle (tenho um Oasis), mas quando estou me locomovendo ou fazendo qualquer coisa que seja repetitiva ou que eu identifique que possa ser uma boa oportunidade para colocar a leitura em dia, eu uso VoiceOver do iPhone para ler os livros para mim, em TTS mesmo (qualidade ótima). Explico como eu faço isso aqui.

O livro mais popular desses todos foi o Duna, do Frank Herbert.

O Livro que tem o maior rating de acordo com os leitores do GoodReads é o Ataraxia, do Marcus Conter. Foi o último livro que li. Muito curto, com algo em torno de 60 páginas.

Perfil no GoodReads

O pior livro foi com certeza Morrer de tanto Viver. Achei que “O Morrer de Tanto Viver” é bastante difícil de ler, não pelo assunto, mas pela forma contada. Uma verborragia sem fim sobre histórias e narrativas do próprio autor. Depois que os primeiros capítulos acabam você consegue pegar o ritmo insano de ideias. É como se você estivesse na cabeça do autor, ouvindo todos os pensamentos dele, sem parar, de forma atropelada como um pensamento deve ser.

Meu gênero favorito é Ficção Científica, de forma que eu tenho que lutar para ler outros gêneros para não ficar preso em histórias o tempo todo. Algumas Ficções que me prenderam:

Atualizando meu ranking pessoal dos autores de Sci-Fi:

  1. Isaac Asimov
  2. Philip K. Dick
  3. Arthur C. Clark
  4. William Gibson

Segundo ou terceiro lugar estão ameaçados. Eu comecei a ler agora Os Despossuídos de Ursula K. Le Guin, autora do A Mão Esquerda da Escuridão… Pode ser que ano que vem ela entre nessa ranking. Está incrível até agora.

E embora eu não tenha lido nada ou pouca Fantasia esse ano, segue o ranking:

  1. George R. R. Martin
  2. C. S. Lewis
  3. Tolkien

Continuando com minha jornada, esse ano intensifiquei um pouco leituras sobre Estoicismo (mas conforme vou aprendendo, vejo que sou mais para epicurismo do que estoicismo): - O Obstáculo é o Caminho - Bem bom, mas não o melhor, embora seja do Ryan Holiday. - Ataraxia - Supresa do Ano. Pequeno e essencial. - O Manual da Vida Boa - Ou Enchiridion de Epiteto. Não tinha lido ainda, embora seja básico e obrigatório. - Meditações - Também obrigatório. Mas não é o melhor sobre o assunto.

Li alguma coisa sobre investimentos (Faça Fortunas com Ações é altamente recomendado).

Se quiser ver o que estou lendo agora e o que já li, clica aqui pra ver meu perfil no GoodReads e aproveita pra me seguir lá.