Como eu monitoro meus dados #2 – Fitbit One

Você pode ver os outros dois artigos da série aqui:


UPDATE 2019: Eu não uso mais o Fitbit One. Embora não goste de nada de nenhum gadget de pulso, acabei migrando para o Xiaomi Band (hoje, versão 4). Farei um post logo menos sobre como está sendo a experiência.

O Fitbit One foi o primeiro gadget que comprei para fazer tracking das minhas atividades. A Fitbit é uma empresa especializada em trackers. Ela entrou no mercado de weareables pra tentar suprir uma necessidade crescente de pessoas que querem controlar seus próprios dados.

Quando eu comprei meu Fitbit One, eu procurava um aparelho que não me atrapalhasse. Eu não gostava de usar relógios e queria algum gadget que fosse bastante discreto, mas que traqueasse todos os dados importantes, logo, o FitBit One se encaixou totalmente nessa necessidade.

Como qualquer outro tracker, ele faz o monitoramento de:

Como eu disse, ele é bastante discreto. Ele vem com um clip, que fixo no bolso da calça e pronto… Você controla os seus dados via aplicativo, que merece um post só dele.

Uma das coisas mais legais do FitBit One é a possibilidade de fazer o tracking do seu sono. Vários aparelhos já fazem isso, inclusive relógios como Garmin (Apple Watch não faz). Com o One você simplesmente coloca numa espécie de bandagem no seu pulso e no App você liga o “modo dormindo” e ele começa a traquear. Alguns aparelhos fazem isso automaticamente, mas eu não acho que eles são acurados o suficiente, porque geralmente eles acham que você está dormindo se o aparelho fica um determinado tempo imóvel.

A bateria dura bastante. Geralmente não preciso carregar em menos de duas semanas de uso.

A feature básica do FitBit One (e de qualquer tracker do mundo) é contar sua quantidade de passos diários.

O que eu sinto falta é que ele tem uma correlação muito fraca dos dados. Já estou usando há alguns anos e eles ainda não implementaram uma inteligência decente de correlação de dados. Quando você começa a monitorar suas informações, você quer entender mais sobre si proprio, por exemplo, entender que nos dias que você faz corrida, você dorme mais tempo. Ou nos dias que você dorme mais tarde, você acorda mais durante a noite. Qualquer coisa que me traga insights assim é importante, mas o Fitbit falha muito forte nesse quesito, me fazendo apelar para outros serviços.

Ele também não sincroniza com o Health da Apple. Uma pena… a ideia de juntar todos os dados de saúde em um só lugar é sensacional, mas isso precisa de uma boa disposição das empresas de liberarem seus dados pra a Apple. Como o FitBit é concorrente da Apple nesse mercado de Health Data, eles não vão liberar tão cedo essas integracoes.

Os aparelhos do FitBit usam um sensor acelerômetro que detecta os passos e partir disso, juntamente com os dados de idade, altura, peso e atividades físicas, ele calcula sua queima calórica. Além disso, ele calcula qual a sua queima calórica baseada no seu metabolismo basal (que é o que queima a maioria das suas calorias diárias) Claro que isso tudo é uma estimativa. E pra falar a verdade eu não confio 100% nesses dados e não tenho ideia de como fazer um teste para provar se isso está errado ou certo. Mas acredito que sendo uma das maiores empresas desse ramo, eles devem usar os dados de todos os usuários pra melhorar a estimativa das informações.

Eles têm um artigo que explica como o sensor deles funciona. É basicamente como qualquer outro pedômetro ou tracker funciona: eles têm um sensor de 3 eixos, que detecta quando você anda e entende o impacto do seu pé no chão.

Existem vários papers que explicam como detectar movimentos usando um sensor de três eixos. vai que você esteja interessado. :-)

O legal também é que se você tiver amigos que também usam um aparelho do FitBit, vocês podem fazer competições de quem anda mais durante a semana.

O FitBit era o único gadget que eu usava para fazer tracking de atividades, depois que compre meu Apple Watch, estou começando a pensar parar de usar o Fitbit One, dado que a Fitbit tem demorado muito para trazer novidades. Mesmo assim, quero ainda comprar os dados que os dois geram. Com certeza devem ser diferentes. Ainda não li os comparativos entre os dois aparelhos.

Mas até lá, ele ainda será meu principal companheiro.

No primeiro post dessa série, eu falei sobre o Life Cycle. Leia.

Pra ler mais: